Skip to Content

octassílabos

História Sem Fim

Os dias não são mais os mesmos
Calor infernal, tanto faz
Que ao cair da noite esquenta mais
As noites também são em vão

Teus olhos hoje não mais vejo
Não ouço você conversar
Não sinto tua pele, teu ar
Teus beijos, o teu coração

Te quero, linda, como outrora
Não é uma paixão ilusória
Entendo o que se passa em mim

Desista disso de ir embora
Porque nem toda boa história
Precisa encontrar um fim

-- Cárlisson Galdino


Um Já

Um dia, sem sombra de mal
A Lua, com aura solar
Dirá a esse povo da Terra
Tudo que ele teme escutar

Estrelas uivarão no céu
Seu uivo congelará o ar
O chão lembrará o que houve
Como tudo podia estar

E assim, o que era luz será
Nunca vista iluminação
E o tempo por onde andará?

Quando tudo se mostra não
Há tempo maior que de um já
E que tinham pés lembrarão

-- Cárlisson Galdino


Águia Livre

A águia voava, cantava
Suas asas chamavam atenção
Era sempre ela que brilhava
Fosse pleno inverno ou verão

Cem mil vezes admirada
Do chão pelos seres da terra
Sempre era por eles fitada
Pela multidão que aqui berra

Voando por sobre essas casas
Contemplando todas as cores cores
Debaixo de um Sol, sempre em brasas

E um dia, senhoras, senhores
Restaram apenas suas asas
Mas graças aos adoradores

-- Cárlisson Galdino


Castigando Inocentes (1.1)

E as águias fogem assustadas
Miradas por armas sem alma
Ao solo mais vidas aladas
Se vão por mãos de estranha calma

Com fúria e forte artilharia
A chama da caça os invade
Quem defender-se não podia
É pego na caça covarde

Não lembram quem é o inimigo
Mas o ódio já aumenta a lista
Dos mortos e dos em perigo

Matando as águias vão na pista
Que criaram e aplicam castigo
Da águia negra, ainda não vista

-- Cárlisson Galdino


Nova Temporada (2.0)

Do chão se ergue contra o tufão
A multidão sai pra lutar
E parte ainda sem direção
"Abaixo aos corpos ao mar!"

E seguem caçando os alados
Em busca da águia do mal
Aprenderam erros passados
Pra repetirem no final

Em nova temporada estão
Mais balas a muitos aterra
Contra a morte, e outras virão

E mais uma vez sobre a Terra
Mais inocentes que se vão
Pois nada vencerá a guerra

-- Cárlisson Galdino


Conteúdo sindicado